Combustível para nossa fidelidade

Kevin de Young

“Assim será a palavra que sair da minha boca: não voltará para mim vazia, mas fará o que me apraz e prosperará naquilo para que a designei” – Is. 55.11.

Nós não sabemos quando os propósitos de Deus serão cumpridos. Não sabemos se o propósito de Deus é para endurecer o coração ou para amaciá-lo. Mas nós devemos ter confiança absoluta de que o nosso trabalho, na Palavra, nunca é em vão. Nenhum sermão fiel à Palavra, nenhum estudo da Bíblia, nenhum tempo de oração com a Palavra com os seus filhos, nenhuma memorização das Escrituras, nenhum ministério da Palavra é em vão.

Por que os missionários devem continuar trabalhando nos lugares mais difíceis do mundo, mesmo com resultados limitados ou nenhum resultado? Porque eles estão confiantes de que Deus tem um povo para si de toda tribo, língua, língua e nação, e por isso eles ficam.

A soberania divina – entendida à luz da Reforma – é um dos grandes motivadores de Deus para missões. Paulo diz que ele resiste tudo por causa dos eleitos (2 Timóteo 2.10). John Newton escreveu uma carta ao reverendo Thomas Jones afirmando: “Se eu não fosse um calvinista, eu acho que não deveria ter mais esperança de sucesso na pregação aos homens do que na pregação aos cavalos ou vacas.” A soberania divina não deve nos fazer preguiçosos. Deve nos tornar longânimos.

Uma das objeções mais comuns para a doutrina da eleição é que, se é verdade que Deus escolhe quem será salvo, então não há muito sentido em trabalhar arduamente para pregação do evangelho. Mas essa lógica humana é exatamente o oposto da lógica bíblica que diz: se Deus não escolheu alguns para acreditar, então por que se preocupar pregando? A soberania divina na salvação é precisamente a razão para continuar pregando – porque Deus escolheu alguns; porque Deus é soberano; porque Deus elegeu; porque alguns vão acreditar. Como Spurgeon observou, não sabemos quem são os eleitos até que eles acreditam, por isso é melhor manter a pregação do evangelho, na esperança e na confiança que os nomeados para a vida eterna vão acreditar (Atos 13.48).

A soberania de Deus é o combustível para a nossa fidelidade – não um impedimento para o trabalho duro e o sacrifício, mas a melhor motivação para isso.

Tradução por Josué M.  de Q.
de http://crossforthenations.org/2013/12/fuel-for-our-faithfulness/, traduzido com autorização.

Deixe uma resposta