A prioridade nas coisas espirituais na vida de Henry Martyn

Chun Chung
série Meditações missionárias

DIA 13 – Leia: Lucas 2.21-35

1. Você sabe o significado do nome Jesus?
2. Para que obra Jesus foi consagrado?
3. Quantas vezes o Espírito Santo é mencionado nesta passagem? Qual o significado disso?
4. Qual o alcance da salvação que Jesus traria segundo a predição de Simeão?
5. Jesus veio trazer somente a salvação?
6. Como a resposta anterior deve moldar nosso evangelismo?
7. Qual outra lição no texto você tira para sua vida?


Do início ao fim a vida de Jesus, salvação é a marca mais clara do nosso senhor. Seu nome significa “a salvação vem do SENHOR”, ele nasceu e foi consagrado para a salvação de muitos inclusive os povos de todas as nações. Na vida de muitos crentes essa não é a prioridade. Para muitos de nós o foco é a paz e ausência de problemas, o sucesso financeiro e viver uma grande paixão.
Henry Martyn foi um jovem missionário que entendeu o que significa priorizar Deus e seu reino. A primeira prioridade na sua vida era a oração e a vida de devoção à Deus. Ele foi um dos muitos jovens que foram influenciados e impactados pela leitura do diário de David Brainerd onde a intimidade genuína deste seu herói fez com que Henry também se dedicasse por horas na presença de Deus. As verdades sobre Jesus foram reveladas a Simeão porque o Espírito Santo estava sobre ele. Isso não se  consegue sem ser justo e piedoso, sem uma vida com Deus íntima e constante.
Após cursar o seminário ele foi para a Índia ministrar entre os povos que ali se encontravam. Um linguista brilhante em apenas 6 anos aprendeu a língua Urdu, Persa e Judaico-persa e traduziu o Novo Testamento nestas 3 línguas. Apesar de todos estes feitos grandiosos Henry Martyn também era um jovem sujeito a todas as preocupações da juventude. Seu ídolo pessoal era a jovem Lydia Grenfill que morava perto da sua casa no Sul da Inglaterra. Ele sofreu muito com a dureza de Lydia que se recusava em acompanhá-lo deixando o conforto e a segurança do seu lar. Ela tornou-se sua maior pedra de tropeço. Ele escreveu: “Eu me coloquei a analisar que eu posso ver qual improfícuo é este amor se comparado ao amor divino”. Também disse: “Para pregar o evangelho às pobres criaturas para que possam obter a salvação que está em Cristo Jesus parece um glorioso chamado e Lydia um pequeno impedimento”. Os sonhos de casar e constituir família já não eram mais prioridade para Henry que partiu para a índia em 1805.
A sua prioridade não estava no sucesso. Antes queria apenas servir a Jesus. No meio do trabalho missionário Henry passou por muitas lutas pessoais e desânimo. Ele escreve em seu diário: “na multidão dos meus pensamentos atribulados que eu possa encontrar esperança diante de mim. Deixem os homens fazerem o seu pior, que eu seja despedaçado, que Lydia seja arrancada de mim, que eu passe 50 anos no meio de injúrias e não veja nenhum alma convertida. Mesmo assim não será pior para minha alma na eternidade e nem no tempo atual”.
Aos 31 anos depois de 6 anos no campo Henry veio a falecer com febre. Sua vida foi um exemplo de prioridade a Deus.

Deixe uma resposta