Martírio e chamado

Marcos Napoli

Mas Estêvão, cheio do Espírito Santo, levantou os olhos para o céu e viu a glória de Deus, e Jesus em pé, à direita de Deus, e disse: “Vejo os céus abertos e o Filho do homem em pé, à direita de Deus”. Atos 7.55-56

Creio que este é um dos textos mais bonitos da Bíblia. Apesar da situação terrível que ele descreve, tem toda uma poesia e beleza sem par. É uma história significativa. Aliás, tudo em Atos é significativo. É o começo de tudo! Cada capítulo vai mostrar algo importante, impactante, especial na vida da igreja. Este evento se torna significativo porque é o primeiro seguidor de Jesus que morre por causa da sua fé!!!

Estêvão foi o primeiro diácono da igreja primitiva. Foi um homem que viveu de forma plena.Era cheio do Espírito Santo, cheio de sabedoria, cheio de fé, cheio de graça e cheio de poder. Segundo Hernandes Dias Lopes (1), Estêvão viveu de forma superlativa e morreu de forma exemplar.

A certeza de que a perseguição e o martírio chegaria, está impregnado nos Evangelhos e em Atos. Jesus disse: “não é o servo maior do que seu senhor. Se me perseguiram a mim, também perseguirão a vós outros.” (João 15:20)

É mais do que uma advertência. É uma promessa. É uma certeza. Talvez uma ordenança?

O fato é que martírio é uma palavra conhecida. Nos nossos dias atribuímos martírio aos radicais religiosos que prendem bombas em seus corpos e as explodem em lugares de concentração de pessoas. O autor de Atos, Lucas, gosta desta palavra.  Essa é a ênfase tanto no seu Evangelho quanto no livro dos Atos. E na Bíblia, martírio tem um significado diferente.

Martírio é o testemunho de vida. É a sua vida demonstrando aquilo que você prega e acredita. É o testemunho que ultrapassa o púlpito, que ultrapassa as palavras (Atos 1.8). É Cristo em minha vida, transformando tudo o que sou, tudo o que eu faço. Esse é o nosso testemunho, esse é o nosso martírio. Nossa vida não é tudo o que podemos dar. É somente o que podemos dar.

Estêvão entendia exatamente o quanto valia a sua vida. O preço pago pela sua vida era algo importante e precioso demais. Ele levanta os olhos e vê o Reino dos Céus! Ele vê Jesus! Nada mais importa! Cheio do Espírito Santo, ele tem a mesma experiência de Eliseu e seu servo, ele enxerga o mundo como realmente é.

Estêvão olha para o céu e vê Jesus em pé.  Tem dois significados isto. Um primeiro é Jesus glorificado, como disse que seria. Mas tem um outro. Jesus está em pé aguardando o seu primeiro mártir. Jesus se levanta esperando a chegada de Estêvão. É a única passagem na Bíblia que mostra isso. Quando entregamos nossas vidas para Jesus, nos tornamos cidadãos do Reino dos céus, Deus está no controle de nossas vidas. Ele está cuidando de nós em tudo. E aí, tudo perde o sentido, o valor, se não for Jesus. O Salmo mais famoso da Bíblia ensina exatamente isso. Eu tiro o chapéu para a Mensagem nesse texto: Ó Eterno, meu pastor! Não preciso de nada.

É encontrar uma pérola tão preciosa que vende tudo o que tem para ter essa pérola, é o entendimento que de o viver é Cristo, e o morrer é  lucro.

Estêvão olha para o céu e lá está Jesus em pé esperando o seu mártir.  Como estaria o rosto de Jesus? Eu acredito, pelas palavras de Estêvão, de que era um rosto glorioso, satisfeito, alegre. Jesus chora na nossa dor, mas o salmista diz que preciosa é aos olhos do Senhor a morte dos seus santos. (Salmo 116.15)

Quando aqueles jovens egípcios foram mortos pelo Estado Islâmico, Jesus estava de pé;

Quando meninas cristãs foram raptadas pelo Boko Haram na Nigéria para se tornarem escravas, Jesus estava de pé;

Quando muitos cristãos na Síria decidiram ficar no seu país a despeito de toda a perseguição e insegurança,  Jesus estava de pé;

Quando um santo do Senhor é perseguido, torturado e assassinado, Jesus está de pé;

Quando um missionário deixa sua casa, seu país e gasta sua vida toda a pregar a Palavra, Jesus está de pé;

Quando uma igreja resolve se consagrar completamente ao Senhor, Jesus está de pé;

Quando um cristão resolve negar a si mesmo, carregar a sua cruz e seguí-lo, Jesus está de pé.

Nossas vidas estão nas mãos de Jesus. A gente não sabe o que o futuro nos reserva, mas tenha certeza de que quando ouvimos a voz do Senhor nos chamando e dizemos sim, o nosso futuro está garantido.

Diante das realidades e desafios missionários dos nossos dias, Estêvão, como o primeiro mártir da igreja, se junta ao coral de tantos outros durante toda a história, clamando a nós, nossa geração, no nosso tempo, a nos dedicarmos, a nos comprometermos com esta causa, que é a maior de todas!

Para encerrar: a morte de um santo nunca, eu repito, nunca é em vão. Não é a toa que Lucas registra especificamente um jovem que participou desse apedrejamento. Estêvão adormeceu e daquela semente, Saulo caiu de um cavalo e levantou como Paulo, apóstolo dos gentios. E o evangelho ultrapassou todas as barreiras e chegou um dia até nós.

Consagre a sua vida ao Senhor, consagre a sua família ao Senhor, consagre seus dons e talentos ao Senhor e o Senhor vai te usar de uma maneiro que olhos não viram, ouvidos não ouviram e nem penetrou na mente humana.

Você tem um potencial tremendo nas suas mãos, entregue seus pães e peixes e deixa Jesus fazer o resto.

Notas

(1) http://hernandesdiaslopes.com.br/2014/01/um-homem-que-viveu-de-forma-plena/#.VWoDROjMa2f – Acessado em 30 de maio de 2015

Deixe uma resposta