O que é a lei da sharia?

30 dias de oração pelo mundo muçulmano

Compreendendo o mundo moderno em que vivemos.

Sharia é um código e sistema legal, político, teológico e militar desenvolvido por um milênio (após Maomé). É o “caminho” para milhões de Muçulmanos. A lei restrita da Sharia é implementada em cerca de 35 países e num menor grau na maioria dos outros países muçulmanos. Ela está sendo apresentada como um sistema de “duelo” para diversas cortes ocidentais em relação a questões de famílias muçulmanas. A maioria dos muçulmanos praticantes não sabem muito a respeito da Sharia além das regras religiosas básicas (oração, jejum, dar o dizimo, etc).

A aplicação da Sharia

É claro que milhões de muçulmanos pelo mundo não seguem (frequentemente sequer sabem a respeito) as leis mais restritas da Sharia. Apesar desta ser a base do sistema legal e político para muçulmanos, a Sharia de fato é aplicada de formas bem variadas e em diferentes graus pelo mundo. Suas principais fontes são o Alcorão e a Sunnah. Mas assim como qualquer sistema legal, é aberta a interpretação e debatida por estudiosos muçulmanos pelo mundo. Por um lado, vemos exemplos extremos da Sharia implementada em países como o Afeganistão. Por outro lado, outros estudiosos muçulmanos dispensam os aspectos mais difíceis afirmando que não podem sobreviver em nosso mundo globalizado. Alguns líderes muçulmanos pregam a lei restrita da Sharia, mas ainda assim muitos muçulmanos a temem e não querem viver sob ela.A Sharia contém categorias e matérias da lei islâmica chamados de ramos de fiqh (literalmente, “entendimento”). Eles incluem diretrizes sobre a adoração islâmica, relações familiares, herança, comércio, lei da propriedade, lei civil (tort), lei criminal, administração, taxas, constituição, relações internacionais, guerra e ética, e outras subcategorias. É, em poucas palavras, uma forma completa de vida. Ela abrange tudo de questões práticas como leis dietéticas e regras bancárias, a um sistema de governo, chamado de o Califado.

Como devem reagir os cristãos?

Não reaja apenas a relatórios da mídia. Algumas vezes, nós permitimos que falsas percepções e a falta de entendimento nos façam tomar as atitudes erradas e ter falta de compaixão pelos povos muçulmanos. Nós precisamos nos arrepender de atitudes erradas, de apatia e de hostilidade contra muçulmanos. E nós devemos reconhecer que o Espírito Santo está movendo os corações de muçulmanos e dando a eles uma fome pela compreensão do verdadeiro cristianismo. O Senhor está trabalhando entre povos muçulmanos através do testemunho cristão e de revelações diretas. Então que possamos orar seriamente e comprometidamente pela aceitação do Evangelho de Jesus Cristo por todos os povos muçulmanos.


Conheça o ministério 30 dias de oração pelo mundo muçulmano.

Deixe uma resposta