O Espírito de Conselho e Fortaleza na vida Patrício

Chun Chung
série Meditações missionárias

DIA 16 – Leia:  Isaías 11.1-12

1. Em que momento do ministério de Jesus o Espírito de conselho e fortaleza se manifestaram?
2. E o Espírito de conhecimento e temor do SENHOR?
3. Quais são os dois grupos que serão julgados pelo Messias?
4. Quais serão os critérios deste juízo?
5. Quais serão as consequências do juízo do Messias e de seu reino?
6. Qual será o destino dos povos e nações naqueles dias?
7. O que acontecerá com Israel naqueles dias?
8. Qual outra lição no texto você tira para sua vida?


Patrício era ainda um adolescente quando foi sequestrado por piratas irlandeses enquanto brincava na praia com seus amigos na Inglaterra. Nascido no 4º século pertencia a uma família cristã, mas ele pessoalmente não era muito chegado às coisas espirituais. Tudo isso iria mudar quando passou fome e frio numa terra longínqua trabalhando como escravo guardando ovelhas e criando cães pastores por 6 anos. Ele orou: “O Senhor me abriu para que sentisse minha descrença e que eu pudesse lembrar-me dos meus pecados e voltar com meu próprio coração para o meu Senhor e Deus… O amor de Deus e seu temor me cercaram mais e mais e minha fé cresceu e meu espírito foi avivado.”
Durante este tempo viveu entre os violentos e cruéis celtas irlandeses, aprendendo sua cultura e língua e tornando-se um exímio pastor de ovelhas e adestrador de cães pastores. As práticas e o sistema religioso dos celtas eram místicas e violentas. Adoravam o sol, a lua, o vento, as rochas e os elementos e acreditam em espíritos bons e maus que habitavam nas florestas para os quais eram oferecidos sacrifícios até mesmo humanos.
A fuga era algo impossível pois a Irlanda era um ilha e de onde Patrício estava até sua casa na Inglaterra eram mais de 300km. Mas um dia ele teve um sonho da parte de Deus e saiu pelos campos, mesmo sob risco de tortura e morte se fosse pego. No porto encontrou um barco mercante e os marinheiros não quiseram levá-lo apesar dele ter implorado e chorado. Quando tentavam embarcar cachorros selvagens os marinheiros encontraram muita dificuldade e Patrício mostrou sua utilidade quando acalmou e embarcou todos os cães.
Quando chegou em casa encontrou seu pai morto e muitas das coisas que vivenciou já não eram as mesmas. O vazio que sentiu, no entanto, não era por causa do seu senso de deslocamento, mas porque Deus o estava chamando. Em seus sonhos ele estava na Irlanda e viu a face de todas aquelas pessoas que conheceu um dia dizendo: “Nós imploramos, santo jovem, que venha até nós mais uma vez e ande conosco”. Mais tarde Patrício escreveu: “O choro deles perfurou o meu coração”.
Demorou ainda muitos anos para que ele fosse ministrar entre os Irlandeses. Quando foi estudar na França e passar pelos processos eclesiásticos para tornar-se um missionário os seus superiores rejeitaram sua candidatura porque consideram sua capacidade intelectual rasa. Ao invés dele, enviaram para Irlanda um monge chamado Paládio que após anos de trabalho não conseguiu ver a igreja frutificar.
Patrício persistiu no seu chamado e finalmente foi enviado para aqueles que um dia o haviam sequestrado e escravizado. Na Irlanda ele passou por situações onde quase morreu por 12 vezes e foi preso, mas pouco a pouco a Palavra foi sendo pregada e os poderosos chefes guerreiros foram entregando suas vidas à Cristo. Patrício procurou o seu antigo dono chamado Milchu e queria se reconciliar e pregar o evangelho a ele. Tragicamente Milchu suicidou-se pensando que Patrício vinha ao seu encontro para se vingar agora que ele era um importante. O juízo de Deus pesou sobre a vida de Milchu e não foi contado entre o grupo dos salvos.
O Espírito de conselho e fortaleza estavam com Patrício e tudo o que fazia a mão poderosa de Deus ia com ele. Durante sua vida fundou mais de 200 igrejas e focou não apenas no crescimento espiritual das pessoas através do discipulado, mas em cada um foi implantada uma consciência missionária. O trevo de três folhas, símbolo nacional da Irlanda fora usado por Patrício para explicar a Trindade. Os missionários irlandeses saíram da ilha para a Inglaterra, o continente europeu chegando até o sul da Itália. Patrício nunca retornou para sua casa gastando sua vida entre os irlandeses.

Deixe uma resposta