William Cameron Townsend (1896-1982)

por http://www.proel.org/index.php?pagina=traductores/cameron
Traduzido por Marcos Paulo da Silva Soares

Cameron Townsend, “tio Cam” para seus amigos, nasceu na Califónia em um período economicamente difícil. Sua família era presbiteriana e em seu segundo ano de estudos na Universidade ouviu uma palestra dada pelo famoso missionário John R. Mott. No ano seguinte, envolveu-se com a Casa Bíblica de Los Ángeles como colportor para distribuir a Bíblia na América Latina.

Na Guatemala, em 1917, Cameron Townsend terá um encontro que mudará para sempre sua vida. Andando por uma área pertencente aos cakchiquels, ofereceu aos mesmos uma Bíblia em castelhano. O índio lhe fez a seguinte pergunta: “Se teu Deus é tão inteligente, por que ele não fala minha língua?”. Esta pergunta fez com que Cameron dedicasse os seguintes treze anos de sua vida aos índios cakchiquels.

No entanto, a dificuldade da língua cakchiquel era enorme: o sistema verbal era muito complexo e parecia uma tarefa impossível de levar a cabo. Porém, aqui surgiu o conselho de um arqueólogo, que lhe disse que deixasse de pensar em padrões latinos para o idioma cakchiquel e buscasse o método lógico intrínseco a esse idioma. Este conselho deu certo e, em 1929, Cameron concluiu a tradução do Novo Testamento em cakchiquel.

A missão com a qual estava associado não dava importância à tradução da Bíblia. Para eles, Cameron devia evangelizar e edificar aos crentes. Porém, a esta altura, ele já estava decidido a consagrar sua vida à tarefa de traduzir a Bíblia para as línguas não- alcançadas. Foi assim que, em 1934, ele e L. L. Legters fundaram o Acampamento Wycliffe que seria o começo da maior organização missionária protestante e independente do mundo, Wycliffe Bible Translators, e de sua filial Summer Institute of Linguistics (SIL).

Com o tempo fez amizade com o Presidente do México, Lázaro Cárdenas, que estava entusiasmado com a tarefa que os tradutores estavam fazendo. Cárdenas solicitou a Cameron que enviasse mais linguistas para dotarem os muitos idiomas indígenas existentes no México de uma forma escrita. Abriu-se uma porta aberta que eles tinham que aproveitar. Depois disso, Cameron passou 17 anos no Peru e logo mudou-se para a Colômbia para seguir no trabalho de tradução.

Sua filosofia pode ser resumida nesta frase:

“O melhor missionário é a Bíblia na língua materna. Nunca necessita de férias e nunca será considerada um estrangeiro”.

Fonte: Gramática Teológica

Deixe uma resposta